Plano

NAC orienta empresas para solucionar crise econômica provocada pela Pandemia do Coronavírus

Na Paraíba, o NAC está atendendo às empresas.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) elaborou um plano de ação com propostas de financiamento para resguardar a produção de empresas de pequeno e médio porte. Com essa ação, a Rede de Núcleo de Acesso ao Crédito (NAC), que é uma estrutura de atendimento ao setor empresarial encontrada nas Federações Estaduais de Indústrias, está colaborando com serviços de orientação, assessoria e consultoria ao crédito.

Na Paraíba, o NAC está atendendo às empresas. “Foram lançadas quatro medidas pelo BNDES, entre elas, uma medida que diz respeito diretamente às micro, pequenas e médias empresas, que é a injeção de 5 bilhões destinados a projetos de financiamento de capital de giro para essas empresas que faturam até 300 milhões anual. As empresas estão passando por um momento especial. Elas precisam de recurso financeiro, não só por causa da sua produção, mas também para a manutenção dos empregos. Além de ser uma questão econômica é uma questão social acima de tudo”, explica Denise Gadelha, gerente executiva de articulação institucional da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba.

Em meio a esse contexto, o NAC oferece auxílio aos empresários, seja para elaboração de projetos ou para elaboração de planos de negócios de forma virtual. Para ter acesso, cada empresa pode acessar até o limite de 70 milhões e um prazo de operação de cinco anos, sendo dois de carência. O Núcleo de Apoio ao Crédito apoiado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), faz a mediação desse recurso com as empresas paraibanas.

O núcleo foi implantado para contribuir com as empresas industriais, oferecendo também cursos empresariais, promovendo palestras e seminários sobre gestão financeira.

A Rede esta presente em 19 estados brasileiros e realiza cerca de 12 mil atendimentos. Inclusive, dispõe mais de 320 milhões de crédito efetivado. Para saber mais detalhes e informações, os empresários devem entrar em contato com o núcleo do seu estado.

 

Repórter PB

Destaques