Vamos para o chuveiro?

-Vamos para o chuveiro? Ele disse para mim, enquanto estávamos ainda deitados na cama, após de um sexo bom.

-Vamos para o chuveiro? Ele disse para mim, enquanto estávamos ainda deitados na cama, após de um sexo bom.

Confesso que não tínhamos muita intimidade na cama, pois era o começo do nosso relacionamento, ainda não conhecia bem um corpo do outro e por incrível que pareça sou meia tímida, até ele desenraizar toda minha insegurança, medos, e aos poucos ele vai conquistando todo espaço. E quando isso acontece me sinto totalmente nua, sem pudor, sem regras, livre para ser e fazer o que desejo.

Mas, ele disse: Vamos para o chuveiro sem esboçar nenhum som, nenhuma palavra. Se existia algo que ele sabia fazer com maestria, era ler meu sorriso, meu olhar. Ele sabia que não gostaria de ser questionada ou perguntada, mas que preciso ser levada. Ele sabia ler as expressões do meu corpo por inteiro.

Ainda deitada, ele me pega delicadamente com movimentos fortes, coisa de homem com pegada. Ele me pega, me beija, me olha, e a cada movimento dos nossos corpos, ele me desmonta, tirava toda minha timidez com sua segurança. Homem que faz uma mulher senti-se segura é tipo de homem que desvenda a alma da mulher antes do corpo.

Nosso primeiro banho no chuveiro, nosso corpos molhados de água, de suor, de prazer. Ainda meia sem jeito, ele liga o chuveiro tentando ajustar a temperatura, e aos poucos ele me molhava, aos poucos ele me beijava, aos poucos ele me olhava, aos poucos ele me fazia uma mulher única e linda. Cada vez que ele conquistava meu espaço, arrancava meus medos, mais gostosa eu me sentia.

Claudia Carvalho
ESpc. Em relacionamento e sexualidade.


Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Repórter PB, não reflete a opinião deste Portal.

Como lidar com o desinteresse sexual?
Mulher de verdade
A senhora Vagina