Você está aqui:
Prefeitura de Sousa e Delegacia da Mulher organizam manifestação sobre violência contra mulher

A Prefeitura Municipal de Sousa, através da Secretaria de Assistência Social, em parceria com Delegacia da Mulher da Polícia Civil e

A Prefeitura Municipal de Sousa, através da Secretaria de Assistência Social, em parceria com Delegacia da Mulher da Polícia Civil e outros órgãos, vai organizar uma mobilização, às 8h desta sexta-feira (24), com início em frente às Lojas Americanas indo até o Calçadão, no centro da cidade.

Nesta segunda-feira (20), aconteceu uma reunião entre a Secretária de Assistência Social, Johanna Estrela e a delegada da Mulher, Yvna Cordeiro. "Tivemos um encontro proveitoso, parabenizo a delegada pelo seu trabalho relevante em Sousa. Essa mobilização é importante para chamar atenção para o problema de violência contra a mulher. Estamos à disposição para parcerias, nossa missão também é apoiar essas campanhas que chamam atenção da sociedade”, disse a secretária.

De acordo com Yvna Cordeiro, a manifestação é em prol dos 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a mulher.

A Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres é uma mobilização anual, praticada simultaneamente por diversos atores da sociedade civil e poder público engajados nesse enfrentamento. No Brasil, a Campanha acontece desde 2003 e, para destacar a dupla discriminação vivida pelas mulheres negras, as atividades aqui começam em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra.

Ainda conforme a delegada, existe um grande problema em Sousa de violência contra a mulher. Segundo ela, ao registrar o boletim de ocorrência em uma delegacia, a mulher pode entrar com uma medida protetiva sob a Lei Maria da Penha que obriga o agressor a se manter longe dela. "A PM acompanha as mulheres que estão sob medida protetiva para fazer com que tenha efeito de fato", explica. Caso o agressor viole a ordem judicial, é preciso fazer um novo boletim de ocorrência, que pode resultar na prisão dele. A violência contra mulher atinge a todos, a denúncia pode ser feita por qualquer um e de forma anônima”, explicou.


Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Repórter PB, não reflete a opinião deste Portal.