servidor

Sindicato dos Servidores de Bernardino Batista realiza ato dia 22 contra a desastrosa reforma da Previdência

O Sindicato Servidores Municipais de Bernardino Batista/PB, realiza ato público contra a reforma da Previdência, nesta sexta-feira, 22,

O Sindicato Servidores Municipais de Bernardino Batista/PB, realiza ato público contra a reforma da Previdência, nesta sexta-feira, 22, na Câmara Municipal. A manifestação faz parte do Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência. Convocado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e outras centrais sindicais. É o primeiro ato unificado depois que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) encaminhou ao Congresso Nacional o projeto que altera o sistema previdenciário e as regras de aposentadoria que traz enormes prejuízos para a classe trabalhadora. A manifestação tem início às 16h e em seguida os manifestantes percorrerão várias ruas da cidade.


O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Bernardino Batista (SINSERMUBB), professor/sindicalista Hiltom Paulo Araújo Almeida estendeu o convite a todos os vereadores da cidade, representantes do povo. Este mesmo povo que será brutalmente penalizado com a Reforma da Previdência.


Bolsonaro não está atacando tão-somente a aposentadoria. A proposta do governo agride também direitos sociais e previdenciários garantidos pela Constituição Federal como o auxílio-doença. E ainda propõe a redução do valor dos benefícios de viúvas e órfãos, que acumulam benefícios e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) pago aos idosos e pessoas com deficiência que vivem em situação de extrema pobreza de um salário mínimo (R$ 998,00) para apenas R$ 400,00 ”, afirma o presidente do sindicato Hiltom Paulo Araújo Almeida.


Segundo a dirigente do sindicato, professora Anastácia Maria Andrade Sousa a Administração Pública Municipal tentou enfraquecer o movimento e enviou ofício ao sindicato comunicando que todo aparato administrativo da Prefeitura Municipal , os órgãos, departamentos, secretarias, funcionarão normalmente no dia 22 de março de 2019 tendo vida que os serviços essenciais à população e o interesse público. O gestor ainda sugeriu que a manifestação.


“O art. 8º da Constituição Federal estabelece que é livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte: a lei não poderá exigir autorização do Estado para a fundação de sindicato, ressalvado o registro no órgão competente, vedadas ao Poder Público a interferência e a intervenção na organização sindical. A Administração Pública não compete interferir nos atos do sindicato porque fere de morte a Constrição Cidadã e o Estado Democrático de Direito”, ressaltou a professora Anastácia Maria Andrade Sousa,


Abdias Duque de Abrantes

Repórter PB

Destaques