sertão

Morre aos 72 anos no Pará, o ex-candidato a vereador e pecuarista Raimundo Bidú, de Poço Dantas

Faleceu quinta-feira (18), no Estado do Pará, vítima de complicações cardíacas, o pecuarista e ex-candidato a vereador em Uiraúna, Raimundo de França Maciel

Faleceu quinta-feira (18), no Estado do Pará, vítima de complicações cardíacas, o pecuarista e ex-candidato a vereador em Uiraúna, Raimundo de França Maciel (Raimundo Bidú), da cidade de Poço Dantas. Deixa viúva a Sra. Maria Cristina de Almeida Maciel, (Dona Nega) e quatorze filhos Francisco Almeida Maciel “in-memoriam”, Cristina, Clécia, Claúdia, Soledade, Líbânio, Cristivânia, Claiça, professora Claudiana Almeida Maciel, Cosme, Damião, comerciante e servidor público, Salomão Almeida Maciel, Felipe e Liliane.

Raimundo Bidú tinha ido realizar um tratamento de saúde no Estado do Pará, mas não resistiu e faleceu na residência do seu cunhado o empresário José Almeida. Raimundo Bidú era genro do saudoso agropecuarista, Francisco de Almeida Castro (Caboclo Maria). Disputou o cargo de vereador nas eleições municipais de 1992 em Uiraúna. Faleceu com um sonho de ver um dos seus filhos disputando um cargo eletivo. Era oriundo da família Maciel da Comunidade de Boa Vista.

Preocupado com a educação dos filhos, residiu na cidade de Uiraúna durante muitos anos. Foi um homem à frente do seu tempo. A geografia humana de Poço Dantas perde um dos seus ilustres filhos. Raimundo Bidú era uma das reservas morais da região. Era muito conhecido, e acima de tudo um homem amigo e muito franco. Sempre pautou sua vida pela retidão, pela fé em Cristo e pelo equilíbrio.

Raimundo Bídú deixa um legado de generosidade, caráter, honradez, serenidade, trabalho, perseverança, determinação no enfrentamento da condução dos problemas do cotidiano e de amor à família. Nunca frequentou universidade, mas se formou na faculdade da obstinação e da persistência por dias melhores. Foi um homem de traços fortes, de ilibado caráter e um guerreiro. A morte de Raimundo Bidú consternou profundamente a sociedade poço- dantense e região.

“Nós sempre conversamos muito sobre a presença de Deus nas nossas vidas. Meu pai era um homem agradecido, comunicativo e muito feliz. Um pai amoroso e um avô bonachão. Sempre nos ensinou que fôssemos pessoas de fé. E é assim que vou lembrar-me dele", disse a professora Claudiana Almeida Maciel.

O prefeito municipal José Gurgel Sobrinho decretou luto oficial no âmbito do município. O corpo está sendo transladado e será velado em sua residência. O sepultamento acontecerá sábado (20), às 16h30, no Cemitério Municipal de Poço Dantas.

 Abdias Duque de Abrantes

Repórter PB

Destaques