Sessão Ordinária

TCE tem sessão plenária sob forte comoção pela morte do conselheiro Marcos Costa

Todos os pronunciamentos, na manhã desta quarta-feira, enalteceram o talento pessoal, a fraternidade, a dignidade, a decência e a honradez do conselheiro Marcos Costa.

O Tribunal de Contas da Paraíba abriu, sob forte emoção, a sessão ordinária desta quarta-feira (14). Na ocasião, todos os seus membros, o representante do Ministério Público de Contas e os advogados Francisco de Assis Remígio e Johnson Abrantes, este último em nome, também, da Seccional paraibana da OAB, lastimaram o falecimento do conselheiro Marcos Antonio da Costa, fato ocorrido na última sexta-feira.

O sentimento de profundo pesar foi inicialmente expresso pelo presidente Arnóbio Viana que então convocava, para data a ser combinada com a família enlutada, uma Sessão Solene do Tribunal em memória do amigo recém-falecido.

Todos os pronunciamentos, na manhã desta quarta-feira, enalteceram o talento pessoal, a fraternidade, a dignidade, a decência e a honradez do conselheiro Marcos Costa.

“É estarrecedor para todos nós aceitarmos a realidade dura, tétrica e soturna, de doravante não mais contarmos com a figura exemplar, com o caráter de um homem de fibra, com a presença reconfortante do grande conselheiro Marcos Costa”, disse o presidente do TCE. E prosseguiu: “O amargor é real, concreto. Sentimo-nos deserdados, apequenados em nossas forças e de almas anêmicas”. A seu ver, Marcos Costa era um homem de muitos amigos “porque era bom e virtuoso”.

Presidente da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), o conselheiro Fábio Nogueira destacou a bela trajetória de homem público, a lealdade e a decência do amigo. “Não se via nele qualquer gesto que beirasse a dissimulação”, comentou. Fábio Nogueira ainda expressou o sentimento de pesar do conselheiro Fernando Catão, então ausente, em razão de viagem institucional.

A boa convivência, o apego ao trabalho, a perseverança em momentos difíceis e a luta pela vida também foram qualidades atribuídas a Marcos Costa pelos conselheiros titulares Nominando Diniz, André Carlo Torres Pontes, Arthur Cunha Lima e, ainda, pelos substitutos Oscar Mamede, Renato Sérgio, Antonio Gomes Vieira Filho e Antonio Cláudio Silva Santos. Este último, muito emocionado, não conseguiu concluir o pronunciamento. O procurador geral Luciano Andrade Farias também falou da boa convivência com Marcos Costa, de quem destacou “uma bela história no Tribunal”.

CONDOLÊNCIAS - Presidentes de Tribunais de Contas, entidades de classe e personalidades diversas encaminharam manifestações de pesar ao TCE-PB e à família do conselheiro Marcos Costa.

A lista inclui o Ministério da Economia (em nota assinada pela secretária do Tesouro Nacional Gildenora Batista Dantas), o Instituto Rui Barbosa (pelo presidente Ivan Lelis Bonilha), o TCE de Pernambuco (pelo presidente Marcos Loreto), o de Goiás (pelo presidente Celmar Rech), o do Espírito Santo (pelo presidente Sérgio Aboudib) e o de Rondônia (pelo presidente Edilson de Sousa Silva.

 

Ainda, o Sindicato dos Profissionais de Auditoria do TCE-PB (pelo presidente em exercício Paulo Germano da Costa Filho), a Associação Paraibana da Advocacia Municipalista (pelo presidente Marcos Villar), a Associação Profissional dos Contabilistas de Campina Grande (pelo representante Alexandre Aureliano Oliveira Farias) e o vereador João Dantas, da Câmara Municipal de Campina Grande.

Repórter PB

Destaques