A decisão de André Gadelha que poderá mudar o rumo de sua vida pública está próxima

É fato que o líder maior das oposições em Sousa, André Gadelha terá que vir a pública falar sobre o assunto: vai ou não concorrer a eleição municipal em 2020?

A reunião do Grupo das Oposições no final de semana que passou no Município de Sousa, gerou muitas especulações, e também revelou a fragilidade de nomes capazes de sair às ruas para disputar a eleição contra o atual, Gestor, Fábio Tyrone.

Olhando friamente é complicado afirmar hoje quem seria o nome capaz de aglutinar energia, empolgação da massa para unir as lideranças da oposição que pudessem encarar a fortaleza que arrodeia o Prefeito Tyrone que dispõe da máquina da Prefeitura, e o equilíbrio do Governo Estadual, a seu favor.

Embora a declaração do ex-deputado Marcondes Gadelha, presidente estadual do PSC, sustenta que a oposição tinha “uma dezena de nomes a disposição”, a realidade parecer ser outra.

Os nomes a disposição no momento, o que parecer não soaram muito bem junto ao eleitoral, após a reunião do final de semana.

Como em Sousa é igual ao clássico Flamengo e Vasco, a torcida parece querer assistir outro confronto como o que aconteceu em 2008: André Gadelha, então vice do Prefeito Salomão, encarrar o Empresário Fábio Tyrone sem história política, o que terminou vencendo o pleito por 126 votos. Para os eleitores Gadelhista isso ficou engasgado. Em 2012 não conta, o adversário foi outro, e André teve a oportunidade de vencer as eleições municipais daquele ano com a desistência de Fábio da reeleição. Em 2016, Tyrone voltou as urnas, e desta feita, André no governo foi derrotado, o que afrontou ainda mais a oposição.

Os torcedores mais empolgados querem agora ir para o “tudo ou nada”, e já até começam a aquecer o grito na garganta com o estrondo nas Ruas de: ÉEEEEEEEEE ANDREEEEEEEEEEEZÃO! Por outro lado, têm os aliados do atual prefeito doidos para voltar a colocarem as mãos da “vassourinha”, hino que ganhou coro em 2008 na campanha de Tyrone nas Ruas de Sousa.

Mas, faltam ainda muitas definições, e também saber se ex-prefeito André de fato quer esse embate, ou simplesmente apoiar alguém da família, ou “qualquer outro candidato que não seja da linhagem Gadelha” em 2020, então, esperar a melhor oportunidade para voltar a concorrer a eleição municipal, a final, virá 2022, e o Grupo Gadelha deverá disputar uma vaga na Assembleia Legislativa da Paraíba, quiçá até Federal.

É fato que o líder maior das oposições em Sousa, André Gadelha terá que vir a pública falar sobre o assunto: vai ou não concorrer a eleição municipal em 2020?

Embora em algumas entrevistas diga que estar pronto, entretanto, outras definições até jurídicas podem tirar André do páreo. Até o Prefeito Fábio Tyrone também anda com essa dúvida jurídica na cabeça, pensando no processo das cores. Caso ocorram em ambos os lados, o xadrez na política local muda totalmente. O relógio do tempo não pára.

Por Pereira Jr.

Analista, e Articulista Político

Destaques