Atuante

ALPB lança ‘Paraíba sem Drogas’ e Frente Parlamentar sobre o assunto; presidente, Wilson Filho apresenta propostas ao fim de audiência

A secretária de Desenvolvimento Humano da Paraíba, Neide Nunes, parabenizou o deputado Wilson Filho pela iniciativa.

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) lançou, nessa quarta-feira (12), durante audiência pública que lotou o plenário José Mariz, a campanha ‘Paraíba sem Drogas’ e deu o pontapé inicial nas atividades da Frente Parlamentar de Enfrentamento às Drogas e Defesa da Juventude, sob presidência do deputado Wilson Filho. As ações fazem parte da campanha ‘Junho Cinza’, com a finalidade discutir ações concretas que ajudem no combate às drogas em todo o Estado. Ao fim do evento, duas proposições de autoria do deputado foram apresentadas: a que cria a Coordenadoria de Política sobre Drogas na Paraíba, que objetiva ser um canal entre os municípios, o Estado e o Governo Central e o Fundo Estadual de Políticas sobre Drogas que servirá para reunir doações de órgãos e a iniciativa privada, além de emendas parlamentares da bancada federal, uma vez que vários deputados federais e senadores já demonstraram interesse em contribuir com a causa.

“Tem muita gente ajudando da maneira que pode, dentro das suas limitações, e nós precisamos dar uma resposta a sociedade. O grande objetivo desse movimento é unir essas pessoas, com representantes de todos os setores para começar o contra-ataque nessa guerra em que já levamos tantas pancadas. Segundo dados levantados pela OMS, são 100 mil usuários ativos de drogas só na Paraíba. Imaginem Patos inteira com usuários de drogas, seria o mesmo”, alertou.

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino (PSB), projetou que o movimento "Paraíba sem Drogas" será a maior ação da história da Paraíba no combate ao que ele considera uma "epidemia".

"Com toda certeza. É o maior movimento [da história] e aqui parabenizo o deputado Wilson por estar contribuindo com este debate e a Casa encampou a ideia e está dando todas as condições para que tenhamos uma discussão de qualidade e contribuirmos para que possamos vencer essa epidemia", congratulou.

Gabriel Gomes, secretário Executivo de Educação do Estado, ressaltou nos índices positivos obtidos por escolas nas quais o ensino integral foi implantado, sugerindo a ampliação da rede como um caminho para a redução do uso de drogas por parte dos jovens.

“Lá na ponta a gente escuta a satisfação de um pai manter seu filho na escola durante todo o dia, sabendo que ele está ali focado nos estudos, dedicado, e em outro horário ele não está na ação inoportuna de se envolver no mundo das drogas ou do crime. A implantação dessas escolas tem repercussão em várias pastas, a exemplo da Segurança Pública em que temos uma análise de CVLI e escolas que possuem escola de tempo integral o índice é bem menor do que em outras cidades”, comentou.

Jean Nunes, que comanda a pasta de Segurança e Defesa Social, louvou a abordagem transversal sobre o tema, lamentando que por muito tempo se tratou o problema como sendo de responsabilidade majoritária das forças de segurança – quando o problema envolve Saúde, Educação e diversos aspectos sociais.

“Momento muito importante para nós da Segurança porque por muito tempo e em várias circunstâncias esse tempo era tratado isoladamente e sempre respingando de uma maneira muito mais forte nas polícias. Daí eu louvo o deputado Wilson Filho por tratar o tema de uma forma transversal, trazendo para aqui Saúde, Educação, estudiosos, especialistas e vítimas do processo”, celebrou.

O secretário de Saúde do Estado da Paraíba, Geraldo Medeiros, lamentou a escalada do uso de drogas ilícitas na sociedade, mas alertou para o alto número de acidentes de trânsito causados pelo uso de drogas lícitas, a exemplo do álcool.

“Somos de uma geração que não conviveu com o crack, mas com a maconha. Hoje vivenciamos a presença de viciados em crack e drogas mais pesadas e que causam dependência de difícil recuperação. A Saúde tem intensificado as ações através dos Caps e da rede de Saúde. Ao mesmo tempo, temos que encarar a realidade do nosso País e eu sempre digo que nossa sociedade está doente. É uma conclusão de quem trabalha em emergência de hospital desde 1980 e o que observamos é um índice crescente de acidentes, principalmente de motos, relacionados ao uso de drogas lícitas e ilícitas”, lamentou.

A secretária de Desenvolvimento Humano da Paraíba, Neide Nunes, parabenizou o deputado Wilson Filho pela iniciativa e ressaltou que o problema das drogas seja, hoje, talvez, a maior chaga social que assola o País.

“É um problema muito mais que um problema de Estado, é um problema social. A drogadição no Brasil com certeza é a maior mazela social que nós temos. Hoje é um momento de discussão, mas de sobretudo de encaminhamentos e que no final dessa sessão possamos ter espaços na construção da política pública antidrogas no Estado da Paraíba”, enfatizou.

Também participam da sessão o secretário de Administração Penitenciária, Tenente Coronel Sérgio Fonseca; o procurador de Justiça do Ministério Público, Valberto Cosme Lira; o Defensor Público Geral, Ricardo José Costa; a presidente da Câmara de Campina Grande, Ivonete Ludgério; o gestor do Programa estadual de Política sobre Drogas, Túlio Pollari; o vereador de João Pessoa Carlão; os deputados Chió, Ricardo Barbosa, Buba Germano, Cabo Gilberto, Eduardo Carneiro, Walber Virgolino e Pollyanna Dutra; diversas comunidades terapêuticas que acolhem viciados, a Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Paraíba (OAB-PB), o Conselho Municipal Antidrogas (COMAD), o Poder Judiciário, a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e diversos jovens e estudiosos da temática.

Repórter PB

Destaques