Capital

Projeto do Hospital de Trauma de João Pessoa pode ser ampliado para toda rede hospitalar da Paraíba

Um número considerado alto e preocupante, porque a maioria são jovens e adultos, com faixas etárias atuante no mercado de trabalho

Há quase dois anos, o projeto "Ressignificando Vidas", do Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, já ajudou pacientes e familiares a repensarem juntos sobre o suicídio. Por isto, o Grupo de Trabalho de Prevenção ao Suicídio, que reúne profissionais que atuam com a temática, pretende levar o programa a outros municípios da Paraíba, com o objetivo de ser estendido a todo o Estado.

De acordo com a coordenadora da Psicologia da unidade de saúde, Anne Michele Paiva, de janeiro a março deste ano, a unidade de saúde atendeu 55 casos de tentativa de suicídio. Um número considerado alto e preocupante, porque a maioria são jovens e adultos, com faixas etárias atuante no mercado de trabalho.

Ainda segundo a coordenadora, o olhar humanizado da psicologia num serviço público e emergencial tem feito a diferença nestas famílias e na instituição. “O projeto foi um farol no escuro, o paciente antes recebia alta e era encaminhado à rede, sem qualquer garantia que ele procuraria ajuda. Agora, quando ele sai da unidade de saúde, é acompanhando por três meses, recebendo ajuda psicológica e medicamentosa para conseguir ressignificar sua vida”, ressaltou.

Durante a reunião do Grupo de Trabalho de Prevenção ao Suicídio, a coordenadora de Saúde Mental do Estado, Iaciara Mendes, relatou que já foram iniciados os trâmites para implantar o projeto "Ressignificando Vidas" no Hospital Estadual de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande, ainda este ano.

Na última reunião realizada em 13 de março, no Ministério Público da Paraíba, o grupo discutiu um projeto de prevenção ao suicídio que deve dar apoio às famílias de parentes que cometeram ou tentaram cometer suicídio. De acordo com a promotora da Saúde do Ministério Público da Paraíba (MPPB), Jovana Tabosa, o projeto será apresentado na próxima reunião. “Vamos nos reunir no próximo dia 10 de abril, a partir das 14h, quando será apresentada uma minuta de um projeto direcionado às famílias enlutadas e às famílias de tentantes, com base no que já existe no Hospital de Trauma”, concluiu.

A reunião foi presidida pela promotora de Justiça, JovanaTabosa, e teve a participação da coordenadora de Saúde Mental do Estado, Iaciara Mendes; a coordenadora da Psicologia do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, Anne Michelle Paiva; a representante do Conselho Regional de Psicologia, Arethusa Farias; a coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente do Hospital Samaritano, Simone Duarte; a assistente social do Hospital do Valentina, Lielma Araújo; a coordenadora de Serviço Social do Hospital da Polícia Militar General Edson Ramalho, Jacilene Nascimento.

Repórter PB

Destaques