Você está aqui:
Padre Djacy: O Brasil nunca foi terra de paz

Engana-se quem pensar que este país de dimensão continental, exuberante em sua grandeza humana, ecológica, cultural, foi e continua deitado em berço esplendido, ou seja, que vive sob a sombra protetora e divinal da paz. Não, neste solo brasileiro, a paz nunca foi uma realidade concreta e existencial.

Não serei prolixo, enfadonho, na exposição crítica do meu pensamento cidadão e cristão. Apenas, de maneira informal, exporei a realidade vivida pelos brasileiros desde a época do descobrimento até o presente. Nada de estatística, de números, até porque não vejo necessidades, pois sabemos como fora tratado e como continua sendo tratado o povo deste país.

Brasil terra de paz, de bem-estar?  Que nada! Neste país nunca houve paz, se a houve ou há, é pura aparência, enganação, hipocrisia, maquiagem politico-ideológica. Nosso povo carrega no sangue, na alma, na mente e no coração, e carregará para sempre, as marcas indeléveis da violência da dizimação, da escravidão, do genocídio, da injustiça social, da exclusão, do abandono socioeconômico, da massificação, do preconceito étnico-religioso, da exploração e das mortes matadas.

Se reportarmos ao período da colonização, passando pelo império, república, podemos constatar com ajuda de historiadores sérios, comprometidos com a história dos oprimidos, dos explorados, que nesse período o ser humano brasileiro fora estraçalhado em sua dignidade, em sua alma e em seu corpo. Foram milhões de irmãos nossos vitimas das piores atrocidades praticadas pelo Estado e seus aliados como fazendeiros, latifundiários, empresários, políticos, militares etc.

E hoje, o Brasil vive em paz? Não. Não podemos mascarar a realidade. A maioria dos brasileiros continua sendo vítimas das mesmas atrocidades, barbáries etc., e o pior, praticadas muitas vezes pelos braços do próprio Estado, onde a lei é branda com os abastados e extremamente rigorosa para os pobres, os pequenos. O Estado Democrático de Direito, como rege a Constituição Federal, está muito distante de tornar-se uma realidade concreta, existencial, para milhões de cidadãos e cidadãs.

Alguns pontos históricos de caráter sócio-políticos pertinentes para embasar a grande interrogação sobre a existência real da paz neste solo brasileiro:

Brasil, terra de paz, quando milhões de índios foram escravizados e assassinados pelos exploradores e desumanos colonizadores europeus?

Brasil, terra de paz, quando a elite dominante  importava milhões de negros da África para serem escravizados e usados como coisas, objeto, sendo tratados, literalmente falando, como verdadeiros animais irracionais?

Brasil terra da Paz, quando homens e mulheres do campo são explorados pelos patrões, tratados indecentemente, injustamente?

Brasil terra da paz, quando milhões de brasileiros são explorados até a última gota de sangue pelos capitalistas que não levam em consideração seus direitos inalienáveis e sua dignidade de pessoa humana?

Brasil, terra da paz, quando os que lutam por um pedaço de terra são perseguidos,  presos, assassinados?

Brasil, terra de paz, quando o sangue de ativistas da justiça, da paz, da liberdade e da vida, é derramado pelas balas dos opressores?

Brasil terra da paz,, quando milhões de brasileiros clamam por pão, água, moradia, terra para trabalhar, justiça social, dignidade e vida?

Brasil, terra de paz, quando em tempo de seca, milhões de nordestinos  viviam na extrema miséria, passando fome, sede, sem nenhuma oportunidade na vida? Aliás, esse povo era explorado, massacrado, obrigado a trabalhar sob sol causticante, numa tal de emergência, para em troca receber um punhado de farinha e uma rapadura preta?

Brasil, terra de paz, quando a elite se opõe aos programas sociais que visam melhorar as condições de vida de milhares de brasileiros?

Brasil, terra de paz, quando muitos ricos, abastados, taxavam os pobres de malandras, vagabundos, pelo fato de ser beneficiários do programa bolsa família?

Brasil, terra de paz, quando as forças repressivas e truculentas do Estado matavam sem dó e piedade o povo e seus líderes que se organizavam para se defender das velhas oligarquias, a exemplo de Canudos e seu líder Antônio Conselheiros?

Brasil, terra da paz, quando a lei é dura, rígida, para os pobres, e onde as prisões estão superlotadas de pobres, negros, favelados, prostituas, analfabetos etc.?

Brasil, terra de paz, quando os pobres são jogados para as periferias, e lá, tratados com desdém pelo poder público?

Brasil, terra de paz, quando reina contra os negros, os favelados, os homossexuais, os analfabetos, os sem nada na vida, todo tipo de preconceito, homofobia, racismo, discriminação?

Brasil, terra de paz, quando há milhares de seres humanos dormindo pelas ruas, calçadas, sob pontes, e tratados de forma desumana pela sociedade e governos?

Brasil, terra de paz, quando a sociedade se divide em ricos e pobres, numa verdadeira demonstração de apartheid social?

Basta observarmos que a classe alta se isola nos seus luxuosos condomínios, enquanto os pobres são levados para as periferias das grandes cidades, vivendo numa situação de desprezo, abandono, miséria etc

Brasil, terra de paz, onde os pobres não têm direito ao usufruto do progresso econômico e científico?

Brasil, terra de paz, onde muitos morrem nas filas dos hospitais, sem direito à uma assistência médico-hospitalar com dignidade?

Brasil, terra de paz, onde as prisões estão superlotadas de pobres, negros, analfabetos?

Brasil, terra de paz, quando muitos brasileiros se opõem radicalmente contra os que trabalham em defesa dos direitos humanos?

Brasil, terra de paz, onde reinou e ainda reina em certos lugares, o coronelismo politico?

Brasil, terra de paz, onde nos tempos atuais há uma onda avassaladora, ameaçadora, da praga maldita do fascismo?

Brasil, terra de paz, onde os movimentos sociais, que tanto lutam em defesa da justiça, dos direitos humanos, da igualdade social, da paz etc., são tratados com ironia, ódio, desprezo, e até mesmo criminalizados?

Brasil, terra de paz, quando deputados e senadores, com o beneplácito da Mídia e setores do judiciário, derruba um governo popular, que tinha como prioridade políticas de inclusão socioeconômica que beneficiava milhões de brasileiros pobres?

Brasil, terra de paz, quando neste momento um governo golpista, ilegítimo, tira os direitos do cidadão e entregam o patrimônio, como o pré-sal, aos estrangeiros?

Brasil, terra de paz, quando o dinheiro público é desviado da Educação, Saúde, saneamento básico, moradia, transporte, por políticos corruptos?

Brasil, terra de paz, quando deputados federais, muitos envolvidos em corrupção, aprovam a PEC 241(PEC da morte), que visa congelar investimentos na saúde, educação e em outas áreas sociais, por um período de vinte anos, prejudicando a população pobre do país?

 Paz? Só se for para os ricos, os abastados, os capitalistas, os grandes políticos, que nada faltam na sua vida, que nadam em dinheiro, mordomia, regalias, moram em condomínio de luxo, vivem passeando pelos países do primeiro mundo. Esses, sim, sabem o é que “paz”.

Aliás, a paz dessa gente aburguesada, endinheirada, não é a paz do Evangelho, do Reino de Deus. A sua paz tem tudo a ver  com dinheiro, poder, status, mordomia, luxo, grandeza etc.

A história oficial nunca falou sobre a vida explorada, massacrada dos pobres, e para piorar, para os historiadores aliados ao Estado e à burguesia (historiadores que escreveram a história oficial do Brasil), os pobres nunca foram os protagonistas da construção da história deste  país.

Então, quando haverá paz neste país? Quando milhões de brasileiros deixarem de ser “amansados” pelas classes dominantes; quando tomarem consciência crítica e assumirem sua força de transformação histórica e viverem  plenamente sua cidadania, seus direitos inalienáveis; quando  não houver mais opressores e oprimidos; quando a justiça social, a distribuição equitativa das riquezas do país, a partilha, a fraternidade, o amor ágape, tornarem-se uma realidade concreta e existencial;  quando o Estado Democrático de Direito for vivido em toda sua plenitude,  e quando todos os homens e mulheres tiverem vida plena, em abundância, conforme a vontade de Jesus Cristo: “eu vim para que todos tenham  vida”.

Uma coisa é certa, e afirmo peremptoriamente, o Brasil nunca foi e nem é terra de paz, mas de gente amansada, explorada, injustiçada, agredida em sua dignidade, sem vez e voz. Afinal, este pedaço de solo latino-americano é a terra dos vencedores, dos grandes, dos poderosos.

“Paz, fruto da justiça, da solidariedade e do desenvolvimento”, assim expressou o Papa Francisco.

Padre Djacy Brasileiro, em 19 de outubro de 2016.
E-mail: [email protected]
Twiter: @Padredjacy


Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Repórter PB, não reflete a opinião deste Portal.

Padre, vá cuidar das coisas de Deus!
Nos Caminhos da Seca