Você está aqui:
Bibliotecas Cheias e Corações Vazios

Nenhuma outra religião forneceu tantos livros à humanidade do que o cristianismo

Por Fabio Campos

Nenhuma outra religião forneceu tantos livros à humanidade do que o cristianismo. Deus foi bondoso conosco, e entregou à igreja homens inteligentíssimos, que nos ajuda a pensar a respeito de Deus, do homem e do mundo e suas cosmovisões.

É humanamente impossível ler todas as obras produzidas pelos principais expoentes do protestantismo. Vamos morrer sem ter conseguido ler todos os livros de nossa biblioteca. (confesso que isso me deixa apavorado).

Ao contrário do que dizem os céticos, quando acusam os cristãos de ignorância intelectual, o cristianismo é racional. A doutrina entregue a nós se apóia numa fé inteligente. Não é racionalista porque não ousa – como tentam os teólogos liberais – explicar milagres. Mas é racional porque dá respostas concretas a respeito da esperança que cada cristão desfruta.

Pois bem...

Com tantos argumentos que temos, entretanto, o que nos falta para colocar fogo no mundo?

Observando o ministério terreno do Senhor Jesus Cristo, percebemos que as pessoas eram atraídas não pela eloqüência do discurso, mas pela a autoridade com a qual Ele pregava e ensinava: “... as multidões estavam maravilhadas com o seu ensino, porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os mestres da lei” (Mt 7:28,29).

Diferente dos escribas e fariseus, as palavras do Senhor não somente informava a mente, mas aquecia os corações. Jesus tinha comunhão com o Pai. Ele que não precisava orar foi a pessoa que mais orou.

Se não tivermos vida com Deus e em Deus, até teremos os argumentos, porém desprovidos do poder de Deus. Ao invés de confrontar, afrontaremos. Nossas palavras tão somente suscitarão ira e não terão eficácia para levar as pessoas ao arrependimento.

Em seu livro “O sorriso escondido de Deus”, John Piper conta que, certa vez, John Owen, o maior de todos os teólogos Puritanos, e contemporâneo de Bunyan, quando indagado pelo rei Charles quanto ao motivo de ir ouvir um funileiro sem formação alguma pregar, respondeu: "Eu trocaria voluntariamente minha erudição pelo poder do funileiro de tocar os corações das pessoas".

Não tenho dúvida alguma que possuímos argumentos de sobra. Vá a uma biblioteca e veja a quantidade de livros teológicos e apologéticos que estão à nossa disposição (o que é uma grande bênção!). Com efeito, porém, a lógica é necessária desde que ela esteja pegando fogo (como dizia, Martyn Lloyd-Jones!). Uma boa biblioteca nos ajudará muito, mas nada podemos sem o fervor e autoridade outorgados pelo Espírito de Deus.

De fato, há uma profunda escassez de conhecimento bíblico e teológico no meio evangélico; mas há também pouca virtude e poder do Espírito Santo em muitos de nós. Podemos até ter persuasão, mas se não houver poder do Espírito, seremos apenas um prato que retine. Os argumentos estão nas bibliotecas, mas o poder de Deus está com aquele que O conhece (Jr 9. 23,24).

Que possamos ter uma mente cheia de luz, porém que nunca nos falte o revestimento do alto, para testemunharmos com graça e ousadia a respeito do Nosso Deus (At 1.8).

Aviva, ó Senhor, a tua obra!

Em Cristo Jesus, considere este artigo e arrazoe isto em seu coração.

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
[email protected]

“A folha branca é o meu púlpito principal.”
Curta nossa página fan page e tenha acesso a vídeos, artigos e reflexões de autores cristãos de todas as épocas: https://www.facebook.com/fabiosolafide/?fref=ts


Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Repórter PB, não reflete a opinião deste Portal.

A salvação na páscoa judaica
A Ira do Homem e a Ira de Deus