Você está aqui:
Padre da Paraíba é inocentado do crime de pedofilia após Justiça constatar falta de provas

O caso segue para análise para o Tribunal Eclesiástico de Roma, que vai decidir sobre o retorno do padre Jaildo às atividades

A Justiça da Paraíba inocentou o padre Jaildo Souto, que chegou a ser acusado pelo crime de pedofilia contra um rapaz que hoje tem 23 anos. A decisão assinada pela juíza Daniele Ferreira, da comarca de Caaporã, na Grande João Pessoa, foi divulgada nessa terça-feira (14) no Cidade Alerta Paraíba, da TV Correio. O caso foi arquivado por falta de provas.

A determinação da Justiça atende a um pedido do Ministério Público da Paraíba (MPPB) que, por meio das investigações da Polícia Civil, constatou que o padre não cometeu crime de pedofilia. Conforme o pedido do MPPB, as investigações do delegado Aneilton Castro não encontraram indícios documentais e testemunhais de que ele tenha cometido o delito.

O caso segue para análise para o Tribunal Eclesiástico de Roma, que vai decidir sobre o retorno do padre Jaildo às atividades.

Segundo o Cidade Alerta Paraíba, o advogado do padre informou à TV Correio que ele não vai se pronunciar sobre a decisão.


Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Repórter PB, não reflete a opinião deste Portal.