Você está aqui:
Escola Estadual Cidadã Integral Almirante Saldanha realiza 1º Torneio de Travinhas no Centro Educacional do Jovem

Como forma de dinamizar e desconstruir a cultura de violência que existe no futebol e mostrar o que de bom o esporte tem a oferecer para os jovens

Como forma de dinamizar e desconstruir a cultura de violência que existe no futebol e mostrar o que de bom o esporte tem a oferecer para os jovens em cumprimento de medidas socioeducativas, a Escola Estadual Cidadã Integral Almirante Saldanha realizou o 1º Torneio de Travinhas, no Centro Educacional do Jovem, unidade socioeducativa da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente ‘Alice de Almeida’ (Fundac).

O evento seguiu uma programação pré-estabelecida pela Escola iniciando às 8h da última quinta-feira (12) com a fala de Wendow Lacerda, diretor do CEJ e da coordenadora pedagógica da Escola, Flávia Tavares, e encerrou no sábado (14) com distribuição de lanches patrocinados pelos professores e pelo coordenador do eixo Esporte, Cultura e Lazer, Nilton Santos. Os jogos foram organizados pelos professores de educação física: Hector e Carlos Eduardo, e as partidas tiveram duração de 12 minutos, cada.

“A integração da Escola com a Unidade foi algo notório. Os objetivos do torneio, que foram entender a dimensão do futebol como cultura; valorizar os aspectos positivos do futebol; repudiar a violência que acontece entre jogadores e torcedores de futebol, propor novas formas de relações dentro do jogo e da torcida; praticar o futebol de acordo com regras discutidas coletivamente; usufruir do futebol como prática saudável e solidária, foram alcançados com êxito”, disse a coordenadora pedagógica do CEJ.

Para Wendow Lacerda, diretor do CEJ, o Torneio de Travinhas busca socializar e integrar jovens privados de liberdade. “Há de se avaliar que o esporte une e integra! A participação de professores, agentes socioeducativos e a direção da Unidade fez a diferença mostrando para os jovens que o intuito do torneio é de igualdade. O jovem do CEJ cumpre sua medida disciplinar imposta pelo juizado, porém com todos os seus direitos garantidos”, disse.

“O evento foi muito bom. Eu estou muito feliz com a mudança da Escola. Tudo agora é diferente. Os professores são nossos parceiros. Além de nos ensinar, eles nos tratam bem”, relatou um socioeducando. Segundo Flávia Tavares, os jovens vêm sentindo de forma clara a mudança de hábitos que a Escola Cidadã trouxe para as Unidades Socioeducativas do Estado.

“A ressocialização dos jovens é o nosso maior objetivo enquanto escola. Tudo o que estamos proporcionando, planejando e executando é para que eles vejam o horizonte de oportunidades que está sendo oferecidos para que eles tenham novas chances de mudanças”, finalizou a coordenadora pedagógica.

O 1º Torneio de Travinhas do CEJ contou ainda com a presença e participação do presidente da Fundac, Noaldo Meireles; da coordenadora do eixo Educação, Roberta Alencar e do diretor da Escola Cidadã Integral Almirante Saldanha, Paulo Ferreira.


Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Repórter PB, não reflete a opinião deste Portal.