Você está aqui:
Professora da Escola Integral Cidadã faz interface com rap e cordel com internos do CSE

A professora de Língua Portuguesa Escola Integral Cidadã Socioeducativa, Inglith Conceição Gomes de Souza

A Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente "Alice Almeida" (Fundac), por meio da Escola Integral Cidadã Socioeducativa: Uma janela para o futuro, está estimulando habilidades de leitura, escrita, reescrita e releituras com jovens e adolescentes privados de liberdade. A proposta é trabalhar junto aos projetos de leitura visando auxiliar a ampliação do repertório argumentativo dos alunos.

A professora de Língua Portuguesa Escola Integral Cidadã Socioeducativa, Inglith Conceição Gomes de Souza, faz com os alunos uma apreciação de cordéis em folhetos e em livros que foram doados a biblioteca do Centro Socioeducativo Edson Mota (CSE). Ela explicou que apresenta dialetos e palavras com variantes lingüísticas com o objetivo de aperfeiçoar o repertório dos Raps que já são cantados pelos alunos.

Inglith está trabalhando apenas com folhetos, livros, som e cordéis cantados. “A ideia nesta interface é fazer uma ponte do repente ao rap para mostrar a rima em si e depois chegar ao cordel propriamente dito”, explicou a professora ressaltando, no entanto, que alguns alunos já estão apaixonados pelos cordeis.

Ela explicou que “esse projeto nasceu de uma vontade de proporcionar aos alunos, inclusão da literatura de cordel na socioeducação para estabelecer também uma qualidade de leitura e valorização da cultura popular em prol das nossas raízes”.
A iniciativa também pretende estimular um olhar crítico e simultaneamente poético sobre a realidade atual por meio dos folhetos. Esta interface, no momento, está sendo aplicada apenas com os alunos do ciclo IV A e B dos turnos manhã e tarde, do CSE.


Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Repórter PB, não reflete a opinião deste Portal.